VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Ciência, a última esperança para a 'menina lobo' de Bangladesh

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2016/06/ciencia-ultima-esperanca-para-menina-lobo-de-bangladesh.html

02/06/2016 10h08 - Atualizado em 02/06/2016 10h08

Ciência, a última esperança para a 'menina lobo' de Bangladesh

Família recorreu a curandeiros e religiosos para eliminar pelos.
Agora, menina de 12 anos passa por tratamento em hospital de Daca.

Da Agência Efe

A família de Bithi recorreu a curandeiros e religiosos para eliminar o manto de pelo que cobre o corpo da menina, mas foi em um hospital de Bangladesh onde vislumbrou a possibilidade de curar o que parece um provável caso de "síndrome do homem lobo".
Bithi Akhtar apresenta excesso de pelo no corpo (Foto: Reprodução/India Today)Bithi Akhtar apresenta excesso de pelo no corpo
(Foto: Reprodução/India Today)















Bithi, de 12 anos, já nasceu com muito pelo, mas este seguiu se propagando pelo rosto e pelo corpo. No ano passado surgiu um novo problema quando seus seios aumentaram de maneira desproporcional. Sua vida foi se tornando cada vez mais difícil.
Hoje sorri porque seus pais pediram um empréstimo para levá-la à capital Daca, onde não só encontrou uma equipe de médicos que sabe como combater sua atípica doença, mas também a ajuda solidária que necessita para fazer frente ao custoso tratamento.
"O futuro só pode ser melhor. Quero voltar a estudar e ter uma vida normal", disse a menina à Agência Efe em um quarto do Hospital Universitário Bangabandhu Sheikh Mujib de Daca, no qual está internada.
Bithi tem dificuldade de pronunciar as palavras. A timidez e enormes gengivas superiores que cobrem completamente seus dentes a atrapalham, mas agora está contente porque seu rosto começa a perder a lanugem graças a uma primeira sessão de laser.
A jovem está há semanas se submetendo a exames que determinarão se sua doença está mesmo vinculada à 'síndrome do homem lobo', ou hipertricose. Enquanto isso, se prepara para enfrentar uma série de intervenções cirúrgicas e 20 sessões de tratamento laser que lhe manterão quase dois anos entre especialistas.
"As pessoas estão sendo fenomenais conosco. Nunca teríamos podido arcar com tudo, mas, entre o hospital e as doações, nossa menina poderá ser operada", comentou à Efe, cheio de satisfação, o pai de Bithi, Abdur Razzak, que ganha a vida como motorista em um povoado do distrito central de Tangail.
Abdur teve tudo claro desde o princípio. Muito pior que a espessa lanugem que cobria sua filha, foram seus seios, de 2,5 quilos cada um, que apareceram no ano passado, que lhe causam fortes dores e, enfim, lhe obrigaram a abandonar o colégio.
As gengivas superiores lhe incomodam, mas não lhe impedem comer e a menina inclusive brinca que gosta muito de carne, que pode mastigar porque seus dentes inferiores não estão cobertos.
"Os médicos nos disseram que tudo correrá bem. Se Alá quiser, tudo melhorará. Isto vai nos dar tranquilidade", comentou Abdur, acompanhado de sua esposa, Beauty, e dos outros dois filhos do casal, que brincavam junto com sua irmã Bithi na cama do hospital.
Segundo o médico Shahjada Selim, responsável pelo Departamento de Endocrinologia do centro, a menina se submeterá a cirurgias nas gengivas e seios nos próximos dias e a eliminação da lanugem está sendo realizada através de um centro especializado.
O custo total das operações, acrescentou Selim, ronda os US$ 12.000, sendo que parte desta quantia está sendo bancada por doadores particulares, como uma empresa de Bangladesh e cidadãos bengaleses residentes no exterior.
"A mutação genética sofrida pela paciente foi intrauterina. Tem quase todos os sintomas da 'síndrome do homem lobo', exceto o problema das gengivas, que é algo insólito, detalhou o médico.
O caso da "menina lobo" lembra o de seu compatriota Abul Bajandar, um jovem afetado pela estranha doença do 'homem árvore' que passou uma década visitando curandeiros e supostos especialistas até que, meses atrás, foi internado em um hospital de Daca.
Os cirurgiões já conseguiram extirpar algumas das verrugas com aparência de cascas de árvore que Abul tem nas mãos e nos pés. Agora é a vez de Bithi, que conta os dias para que sua vida volte a ser o mais normal possível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário